Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

Perspetivas e impactes económicos da COVID-19

COVID-19

​​​​​​​​​// Turismo de Portugal

Através da plataforma de conhecimento TravelBI​, o Turismo de Portugal atualiza e disponibiliza informação sobre as reservas de voos de longa distância efetuadas em agentes de viagens, divulga informação dos principais mercados emissores de Portugal e apresenta análises das estimativas publicadas por diversos organismos internacionais, incluindo a OMT, o WTTC ou a IATA​​, procurando acompanhar o desenvolvimento da pandemia COVID-19 e os seus impactes no setor do turismo. 

// Banco de Portugal (BdP) e Instituto Nacional de Estatística (INE)

Os inquéritos realizados, cujos resultados se mantiveram relativamente estáveis nas primeiras 4 semanas, passaram a ter​ uma periodicidade quinzenal. A análise do INE na sequência do inquérito relativo à 1ª quinzena de maio de 2020 é comparativa em relação à última quinzena de abril (3ª e 4ª semana de inquirição) e indica​ que:

90% das empresas respondentes estavam em funcionamento, mesmo que parcialmente, e 11% das empresas encerraram temporária ou definitivamente. A subida de 80% para 90%  em relação à quinzena anterior é muito alvancada no aumento de empresas a funcionar registado no setor do comércio. Cerca de 80% das empresas respondentes refere que a pandemia está a implicar uma redução no volume de negócios, sendo essa redução superior a 50% para pouco mais de 1/3 dessas empresas (era reportada por metade das empresas na quinzena anterior). 50% das empresas referem uma redução do pessoal ao serviço efetivamente a trabalhar​ (era cerca de 60% na quinzena anterior) mantendo-se o recurso ao lay-off simplificado como o principal fator para essa redução. Das empresas respondentes, 54% têm pessoas em teletrabalho e 46% das empresas reportaram a existência de pessoal a trabalhar em presença alternada nas instalações da empresa devido à pandemia.

A percentagem de empresas encerradas temporária ou definitivamente no setor do Alojamento e restauração continuou a ser significativamente mais alta (50% e 6% respetivamente). A redução do volume de negócios neste setor manteve-se estável e é referida por 97% das empresas respondentes, sendo essa redução superior a 75% para mais de 70% das empresas, numa tendência de subida inversa à dos restantes setores. No que respeita à redução do pessoal ao serviço efetivamente a trabalhar​, mais de 80% indica esta situação assim como o recurso ao lay-off simplificado como relevante para essa redução​. Apenas cerca de 30% afirmam ter recorrido ao teletrabalho e 40% a existência de pessoal a trabalhar em presença alternada nas instalações.

Quanto a outras medidas de apoio disponíveis, para além do lay-off, verifica-se que 18% das empresas já beneficiou da suspensão de obrigações fiscais e contributivas, sendo a proporção de 27% para o setor Alojamento e restauração, 16% da moratória ao pagamento de juros e capital de créditos já existentes e 6% do acesso a novos créditos com juros bonificados ou garantias do Estado, todos com ligeiros aumentos em relação à quinzena anterior.

Quanto ao recurso a créditos adicionais, junto de instituições financeiras ou de fornecedores, cerca de 14% das empresas estão a financiar-se, sendo esse recurso superior (26%) no setor do Alojamento e restauração.

_ resultados da 1.ª semana de inquirição (6 a 10 de abril de 2020)
resultados da 4ª semana de inquirição (27 de abril a 1 de maio de 2020)
resultados do 5º inquérito (1ª quinzena de maio)

​Mais informação relacionada com a COVID-19 no portal do INE e no portal do BdP​.


// Empresas de consultoria internacionais 

Diversas empresas de dimensão internacional, especializadas ou mais generalistas, disponibilizam artigos de perceção e análise relacionados com a pandemia da COVID-19, apresentando-se algumas a título de exemplo:

ForwardKeys, empresa líder mundial na análise da indústria das viagens, publica no seu website, desde o fim de janeiro de 2020, artigos com perceções e análises ao impacte da COVID-19 no setor das viagens e turismo a nível internacional (Travel Insights).

_ PwC (PricewaterhouseCooper), realiza um inquérito quinzenal aos responsáveis financeiros de empresas em mais de 2 dezenas de países, incluindo Portugal (COVID-19 CFO Pulse Survey Portugal), assim como disponibiliza outra inform​ação relativa à gestão da crise em Portugal

_ Roland Berger, disponibiliza artigos de pe​rceção e análise sobre temas transversais, incluindo cenários macroeconómicos do impacte da pandemia.

McKinsey & Company, disponibiliza artigos de perceção e análise sobre temas transversais, incluindo o setor das viagens, assim como o COVID Response Center​.

EY (Ernst&Young), disponibliliza artigos de perceção e análise​ sobre temas transversais​, incluindo um Index de Comportamento dos Consumidores pós COVID-19.

_ Deloitte, disponibiliza artigo​s de perceção e análise​ sobre temas transversais, incluindo o setor das viagens.

_ BCG (Boston Consulting Group), disponibiliza artigo​s de perceç​ão e análise​ sobre temas transversais, assim como disponibiliza uma chec​klist para resposta rápida das empresas à crise.




  • Saúde pública
  • COVID-19
  • Turismo
  • Estudo
  • Publicação
  • IATA
  • Transportes aéreos
  • Travel BI
  • Mercados
  • Banco de Portugal
  • INE
  • social network icon image
  • social network icon image
  • social network icon image
  • social network icon image
  • social network icon image